Concursos ou noticias

quinta-feira, 9 de abril de 2009

URV, PAGAMENTO,BAHIA

Convidamos todos os funcionários públicos que tem direito ao recebimento da URV a comparecer nesta quarta-feira, dia 2 de julho, às 08 horas da manhã, no Largo da Lapinha em Salvador, para participarmos do desfile do 2 de julho exigindo do governo Wagner o pagamento da URV.
Apesar da Associação dos Funcionários Públicos ter ganho em ultima instancia o direito de receber a URV, o governo da Bahia se mantém alheio à decisão judicial, alegando numa emissora de rádio que não possui dinheiro para efetuar tal pagamento.
O governador da Bahia Jacques Wagner foi eleito pelos trabalhadores, pois defendia direitos trabalhistas e o cumprimento das leis. Hoje o Governo massacra os funcionários com salários arrochados e se recusa a cumprir a decisão judicial. Um governo que sempre apoiou as associações de funcionários públicos que o elegeu, alegou no Supremo que a A Associação dos Funcionários Públicos do estado "não tinha poder para representar seus associados requerendo o pagamento desses valores".
Vergonhoso para um governo eleito pela classe trabalhadora.
Não há dinheiro para pagar a URV dos funcionários públicos, mas quanto o governo da Bahia investiu para divulgar o São João da Bahia no exterior e em outros estados em 2008? Quantos bilhões estão guardados para a campanha política municipal dos apadrinhados do governo Wagner?
É lastimável, vergonhoso, estarmos mendigando um direito adquirido por lei, mas esperamos nas eleições municipais ver voce dar a resposta. Na hora do voto lembre-se da traição do governo Wagner para com os servidores públicos, lembre-se do seu salário arrochado, lembre-se de quanto endividado voce está e de como o pagamento da URV pelo governo da Bahia poderia mudar sua vida. Há pessoas esperando o pagamento da URV parafazer cirurgias, adquirir um cantinho para morar, abrir um negócio para dar um padrão de vida melhor para sua família, e até comprar um carro para fugir dos assaltos a coletiivos na Bahia.
No governo Wagner quem decide são os secretários, e o Secretário de Administração Manoel Vitório, responsável pelo pagamento dessa URV é irônico quando se dirige ao funcionalismo e diz que o estado não tem como pagar ao Executivo: mas pagou ao Legislativo e ao Judiciário, cujos valores são até 10 vezes mais altos, o que significa que o Secretário Manoel Vitório já recebeu a URV dele assim como todos os políticos que fazem o governo da Bahia.
O estranho é que tem 2 safados defendendo o governo dizendo que "o governo realmente não tem recursos". Um deles é Rui Oliveira da APLB Sindicato, a outra é Marinalva, da Federação dos Trabalhadores da Bahia,Fetrab. Se voce pertence a essas associações caia fora, pois seus direitos não estão sendo defendidos e estão te fazendo de bobo. Aliás lembrem-se que esses 2 sempre foram amigos, companheiros inseparáveis do governo Wagner.

3 comentários:

antonio carlos dos santos disse...

bom dia eu não voto mais no pt mesmo que venha pagar o que eu tenho diteito 2010 vem ai ei fiz campanha para essa governo que esta ai vou fazer campanha contra a ele na minha familia são 12 votos fora os que eu consequir a cabou a mamada sr. governador da bahia?

Anônimo disse...

Aproveitando o comentario do colega , eu quero dizer ao governador, que eu tenho até nojo de proferir o nome,que ele só vai perder a eleição porque quer (massacrando os funcionarios publicos) mas ainda da tempo do mesmo se redimir e voltar atrás. Nós não queremos nada de mais só o que temos direiro.

ass. indignação

Anônimo disse...

DIRIEITO ADQUIRIDO
Complexo de leis ou normas que regem as relações entre os homens, no que se adquiriu, ganhou, comprou. Assim sendo, o direito adquirido é sagrado na sua concepção básica de reconhecer-se o domínio, a posse, por aquele que envidou esforços, e de forma legal, adquiriu. Observe que, adquirido, imite-se imediatamente na posse. E, na chamada Sociedade moderna onde se abriga o direito constitucional de ter e possuir, por aquele que assim adquiriu, é matéria de público reconhecimento....bla...bla...bla... Sendo a URV um direito adquirido em matéria de público reconhecimento por todas as esferas do Judiciário brasileiro, vê-se porém, aquí e acolá, a intransigente negação do direito, pelos chefes do Poder Executivo em todos os Estados brasileiros. Entra Governo, sai governo e fica cada vez mais evidente e notória a falta de obediência ao direito constitucional, por aqueles que constituímos mordomos-mor do nosso direito de ter e possuir, o que adquirimos. Aquí na BAHIA, o mordomo-mor, Jacques Wagner, insiste em negar esse direito ao funcionalismo público estadual, insurgindo-se contra sí mesmo nas próximas eleições. Se continuar negando esse direito, a URV será um tiro no pé desse mordomo nas próximas eleições. A massa de manobra conquistada no gogó de ouro há quase quatro anos atrás e agora diluída para não dizer evaporada pelo seu desgaste, está muito atenta aguardando o dia “D”. Alguns milhares podem se tornar alguns milhões de votos, daqueles que viram seus pais e mães falecerem sem verem esse direito adquirido concretizado. Sonharam, sonharam e nada viram. Os demais que vivem a sonhar, vêem esse direito adquirido se transformar em bosta de alma como dizia meu falecido pai. Algumas centenas de milhares desses votos podem fazer o Sr. Wagner atirar no que vê (pela mídia do horário eleitoral), e acertar no que não vê, ou seja no próprio pé. A física explica muito bem a causa da ação e reação. Todo efeito tem sua causa. A negação do direito adquirido é inaceitável, e o funcionalismo público anda um tanto quanto cético, quanto às promessas do gogó de ouro da Bahia, digo, Zé Carioca. Que venha o dia “D”.

Por: Ailton Silva, filho do Sargento Celsamir Pereira da Silva(in memoriam)